CONFIRA A PROGRAMAÇÃO

AGUARDEM O PRÓXIMO CONVIDADO

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Agradecimentos


Os alunos de Jornalismo da Faculdade da Cidade, 2º Semestre Noturno (Grupo Se Liga Na Mídia), agradecem aos palestrantes Patrícia Nobre (Jornalista), Renata Melo (Publicitária) e Helô Sampaio (Jornalista) por terem cedido um pouco do tempo tão corrido que têm para nos ensinar, nos passar suas experiências e nos enriquecer com seus conhecimentos no Seminário Solidário que aconteceu na última terça-feira (23) no Auditório da Faculdade da Cidade do Salvador, onde discutiu “Os Caminhos do Jornalismo e da Publicidade”.

O bate papo teve início com a linda apresentação de Deise Marinho, cantora e graduanda de jornalismo, cantando Lenda das Sereias de Marisa Monte e encerrou com a bela canção chamada Folhetim de Chico Buarque.

Um dos destaques, Helô Sampaio que com toda irreverência, deu diversos conselhos a todo público. “O jornalista tem que surpreender e preservar o seu nome” alertou a jornalista, que ainda mostrou aos presentes exemplares das primeiras edições do Jornal A Tarde onde iniciou sua carreira profissional.

Renata Melo, publicitária de grande destaque profissional, informou que os jornalistas precisam dos publicitários e vice-versa. Renata chamou atenção ao que faz com que haja o conflito entre as profissões. “O grande ponto de conflito entre as profissões é quando uma tenta fazer a função do outro. Jornalista é jornalista e publicitário é publicitário”.

Conhecida na telinha, a jornalista Patrícia Nobre contou sua trajetória profissional até os dias atuais e quando questionada a sua opinião sobre os programas exibidos ditos como sensacionalistas, falou “Cada um sabe o que faz e a credibilidade que passa. Eu faço um telejornalismo e o que se tem hoje em dia, são programas”.

O bate papo teve a mediação da Professora Wilma Nascimento, a qual agradecemos muito por está com a gente em todos os momentos e sem ela, com certeza não conseguiríamos chegar tão longe com a orientação adequada para a realização do evento.

Além de ganhar conhecimento e enriquecimento cultural, a turma fez uma excelente ação, ajudando o Grupo de Fraternidade Leopoldo Machado, que receberá os alimentos arrecadados no evento nomeado como Seminário Solidário que teve como patrocinadores: Olho de Designer, Jornal Por Dentro da Notícia, Folha do Recôncavo, Blog Bikebook, TCM Derma, Placa Serv Comunicação, Panificadora Bom Jesus da Lapa e Rsom.

Em nome de todos, o líder da turma Heron Lessa agradeceu e disse que no próximo semestre em 2011 serão realizados novos seminários pela turma. “Agradeço por toda dedicação e empenho, pois como diz o velho ditado, a união faz a força, e juntos somos bastante fortes. Em especial, agradeço aos líderes de grupo sempre fundamentais para o andamento e a realização dos eventos. Acredito que estamos crescendo e com isso melhorando a cada semestre, a cada evento realizado. Semestre que vem que nos aguarde, voltaremos com todo o gás”.

Confira no nosso blog www.seliganamidia.blogspot.com fotos e vídeos desse e dos outros seminários realizado pelo Grupo Se Liga Na Mídia.


Tiago Araújo
Graduando de Jornalismo / Assessor de Comunicação
71 8168-9417 / 8607-2643

domingo, 21 de novembro de 2010

Chamada do Seminário

sábado, 20 de novembro de 2010

Seminário Solidário discute “Os caminhos do Jornalismo e da Publicidade”

Seminário irá discutir os caminhos traçados por profissionais de jornalismo e publicidade, além de arrecadar alimentos para doação.

Na próxima terça-feira, dia 23 de novembro será realizado no Auditório do Edifício Nobre da Faculdade da Cidade do Salvador às 19h o Seminário Solidário com o tema “Os Caminhos do Jornalismo e da Publicidade” que tem como principal objetivo discutir, apresentar e esclarecer os caminhos traçados por profissionais da área de Jornalismo e Publicidade, com realização dos alunos do 2º semestre – Noturno de Jornalismo (Grupo Se Liga na Mídia).

O evento contará com profissionais renomados de ambas as áreas, que irão compartilhar as suas experiências com o público presente. As palestrantes serão Patrícia Nobre (Jornalista Rede Bahia), Renata Melo (Publicitária da Leiaute Propaganda), Heloísa Sampaio (Jornalista/Professora da FACOM) e Samantha Cardoso (Publicitária). A mediação da mesa ficará por conta da Jornalista, Professora e Auxiliar de Coordenação dos Cursos de Jornalismo e Publicidade da Faculdade, Wilma Nascimento.

A nomeação de Seminário Solidário foi feita pelos próprios alunos que tiveram a idéia de arrecadar alimentos para doação. Com isso, a entrada custa 1 kg de alimento não perecível. Todos os alimentos arrecadados serão doados ao Grupo de Fraternidade Leopoldo Machado. (www.leopoldomachado.com.br)

O Grupo Se Liga na Mídia, alunos do 2º semestre de Jornalismo – Noturno, vem tendo muito destaque no decorrer do curso devido aos seminários produzidos. No primeiro semestre do ano os alunos produziram o seminário com tema “Imagem, Mídia e Violência”, já no início do semestre atual abriram espaço para a discussão sobre o drama da “Violência contra a Mulher”. Todos tiveram grande sucesso sendo noticiado na mídia em geral.

Agora é a vez de discutirem sobre o próprio caminho a ser traçado na vida profissional. Participe e faça uma boa ação trazendo o seu alimento para doação. Mais informações, acesse www.seliganamidia.blogspot.com ou pelo email jdacidade01@hotmail.com.


Tiago Araújo
Assessor de Comunicação / Graduando de Jornalismo
(71) 8168-9417 / 8607-2643

sexta-feira, 19 de novembro de 2010


quarta-feira, 17 de novembro de 2010

JORNALISMO X PUBLICIDADE

A Publicidade vende idéias, seduz, cria necessidades. O Jornalismo conta histórias, entretém, informa a sociedade. Em comum, as duas profissões produzem conteúdo.
Publicidade é a comunicação impessoal de informação normalmente pagos e, geralmente de natureza persuasiva sobre produtos, serviços ou idéias por patrocinadores através de vários meios de comunicação.

Jornalismo é uma disciplina de escolhas, verificação e análise de informações coletadas sobre os eventos atuais, incluindo tendências, problemas e pessoas. O Jornalismo é às vezes chamado de “primeiro rascunho da história”.

As duas profissões começam sua caminhada lado a lado dentro das universidades, tomando seus rumos no decorrer do curso. Os publicitários e os jornalistas estão sempre juntos, ou pelo menos, uma boa parte, pois ambos os profissionais tem a consciência de que necessitam um do outro. O Jornalismo leva a informação, têm os meios, os veículos. Por sua vez a Publicidade vende, mantém esses veículos circulando.

Mas também há aqueles que não pensam dessa forma, que caminham com a certeza de que ambas as profissões independem uma da outra, cada qual tem sua linha pré-definida.
Essa discussão é bem vasta, e cada profissional da área tem sua opinião formada sobre o assunto. O importante é que independente de lado cada um entende que as duas profissões são de importância fundamental para a Comunicação Social.


Heron Lessa

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Porque SOLIDÁRIO?



Todos alimentos arrecadados serão doados para o Grupo de Fraternidade Leopoldo Machado.

Conhecendo um pouco do Grupo...


O GFLM tem na doutrina espírita a nossa base fundamental para os trabalhos voltados a educação e a caridade para todos que chegam ao centro.
O grupo entende que a casa como toda casa espírita é um coração aberto ao sofrimento das criaturas e educandário para os que buscam ampliar a sua instrução e conhecimento do espiritismo.
Se dedicam com seriedade, com o mandamento maior da doutrina espírita que é: Fora da caridade não há salvação! Nas reuniões doutrinárias, nas reuniões mediúnicas, grupos de estudo, biblioteca e atendimentos aos mais necessitados, pautam pela sinceridade e alegria de servir. A casa funciona de segunda a sábado e fica a disposição para atendê-lo.

O GFLM está localizado no seguinte endereço: Av. Vasco da Gama, 248 Dique do Tororó - Salvador-Bahia-Brasil CEP.: 40240-090

Mais informções através do site http://www.leopoldomachado.com.br/

E-mail: atendimento@leopoldomachado.com.br
Tel.: 071 3382-1162



quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Agradecimentos

Toda a Turma de Jornalismo Noturno II Semestre, agradece a participação de todos os envolvidos no evento, dos graduandos, funcionários da Faculdade, professores, coordenação, amigos e principalmente aos palestrantes.
O evento foi um verdadeiro sucesso. Pelo menos nessa noite o tema “Violência Contra Mulher” teve a importância que o problema merece. Ouvimos histórias, relatos, depoimentos de muita gente, frases e textos que nos fizeram refletir e pensar.
É certo que o tema é bem amplo e requer um estudo mais apurado e avançado, mais nós estudantes de Jornalismo da Faculdade da Cidade, acreditamos que são pequenos passos que começam uma grande caminhada, e esses passos foram dados. Agora é com cada um, pois todos que estavam naquele auditório têm o dever de não deixar se apagar as informações passadas, todo o conhecimento que foi adquirido tem que ser passado à diante.
E sempre vamos buscar essa paz, nós estaremos sempre de olho, prontos para novos desafios, afinal que Jornalistas seríamos nós se não nos preocupássemos com os problemas de nossa sociedade.

“A mulher deve ser lentamente decifrada, como o enigma que é: encanto a encanto.” (Coelho Neto)

A todos que entraram no Blog e que interagiram com agente, todos que postaram seus comentários, suas indignações no texto “Conhecendo o Problema”, o meu muito obrigado. Esperamos sempre poder contar com a ajuda e a colaboração de todos, pois acreditamos que a união faz a força.


Heron Lessa

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Chamada do Seminário

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Violência contra a Mulher não tem desculpa, tem Lei.

Conselho Nacional de Justiça lança campanha para coibir a violência contra a MULHER

terça-feira, 21 de setembro de 2010

ENCONTRO – Violência Contra Mulher. Mídia e a Lei Maria da Penha.

Em sua segunda edição o Projeto Se Liga na Mídia promove o encontro com o tema: Violência Contra Mulher, mídia e a Lei Maria da Penha. Promovido pelos alunos do curso de Jornalismo da Faculdade da Cidade do Salvador convidamos a comunidade acadêmica e a sociedade baiana para refletir e problematizar as diversas formas de manifestação da violência contra a mulher na contemporaneidade, sobretudo a violência ofertada à sociedade pelas imagens midiatizadas, pelas TVs, fotografias, vídeos e imagens computadorizadas, bem como atenção e tratamento concedido ao tema da Violência contra a mulher.

“Na esfera jurídica, violência significa uma espécie de coação, ou forma de constrangimento, posto em prática para vencer a capacidade de resistência de outrem, ou a levar a executá-lo, mesmo contra a sua vontade.” Renato Ribeiro Velloso

Traremos a questão dos crimes passionais que envolvem anônimos e famosos, a maneira como os meios de comunicação tratam as mulheres, muitas vezes como sendo elas as causadoras das agressões cometidas por seus parceiros fazendo um comparativo das mudanças com o surgimento da Lei Maria da Penha. Também vamos levantar a questão da violência imagética promovida pela publicidade, os reflexos dentro da sociedade a nível nacional permeando a esfera internacional.

Pensar como as imagens afetam e disseminam a realidade da violência pela exposição visual, pela violência simbólica das mercadorias-imagens, sobretudo a violência verbal e física além da aplicabilidade das leis de proteção as mulheres.


Produção: Alunos do Curso de Jornalismo

Orientação: Profª. Wilma Nascimento
Coordenação do Curso de Jornalismo
Faculdade da Cidade do Salvador

domingo, 19 de setembro de 2010

Conhecendo o problema...

A violência contra a mulher pode ser definida de várias formas como sendo uma violência física, sexual, tipos de ameaças, gestos, não reconhecimento de paternidade, dentre outras.
Mas nem todas as violências deixam marcas como podemos citar a violência verbal e moral.
Podemos dizer que as humilhações diárias sofridas pela mulher acabam minando a sua alto-estima, moral e principalmente sua confiança.
Todo tipo de violência contra a mulher é inaceitável e totalmente reprovável. A sociedade não pode mais permitir esse problema, temos que tirar a venda dos olhos do mundo e gritar bem alto, expor o agressor mas principalmente buscar soluções.
Essa violência não tem limites e acontece em todas as classes sociais, atinge mulheres de todas as idades, raças e credos. A diferença é que uma mulher que pertence a uma classe social com um poder aquisitivo melhor acaba se calando por medo, receio ou por simplesmente não querer ver sua imagem exposta.
Mas é preciso que as mulheres tenham a coragem para denunciar esses agressores e com isso protegendo-se de novas agressões, pois sem essas denúncias nunca poderemos chegar às possíveis soluções desse covarde e humilhante problema.
A mulher agredida não pode nunca perder seu amor próprio deixando assim o medo tomar conta de sua vida. Todas as mulheres têm o direito de lutar por sua felicidade, seja ela qual for, pois as mulheres nasceram para amar e serem amadas.

Heron Lessa

quinta-feira, 3 de junho de 2010

IMAGEM, MIDIA E VIOLENCIA



Alunos do curso de Jornalismo da Faculdade da Cidade, promoveram no último dia 1º de Junho um debate para o qual foram convidados educadores e autoridades que lidam com Imagem, Mídia e Violência.
Embora, como unanimemente reconhecido pelos debatedores, as palestras e debates não promovem a solução dos problemas que nos afligem, mas servem como troca de experiências, alerta que ensinam a busca de caminhos.



O evento contou com as participações de Dometila Garrido - 1ª jornalista mulher da Bahia, Moisés Bisesti- Rádio Cruzeiro, Dr. Deraldo Damasceno – Delegado, muito conhecido por suas ações no Subúrbio Ferroviário de Salvador, o Professor Eduardo Andrade – Sociólogo, mestre em ciências sociais, o repórter da TV Itapoan/ Rede Record Celso Duran, sob a mediação do coordenador dos Cursos de Jornalismo e Publicidade da Faculdade do Salvador Prof. Dr. Fernando Oliveira.



Sem dispensar as palestras das discussões acadêmicas, os organizadores do evento trouxeram o popular Delegado Dr. Deraldo Damasceno, que discorreu sobre as funções com que lida diariamente em sua profissão, em um bairro periférico, onde quase 1 milhão de pessoas experimentam as carências mais básicas do ser humano.


Bem mais alto, “falou” o vídeo/depoimento, apresentado por Damasceno, em que um assaltante confesso -entregue à Justiça, fala a respeito de suas atividades, da sua realidade e
repudio para com as leis. Apesar de ser um destes vídeos amplamente divulgados na mídia “escandalosa” os presentes receberam comentários educativos, sensíveis, esperançosos, daquela autoridade policial.


Sob a coordenação do Professor Fernando de Oliveira e apoio da Professora Wilma Nascimento, foi tão acalorado e participativo o encontro que deixou a expectativa para uma 2ª edição.



Entre outros, contou o evento com o apoio do
http://www.folhadoreconcavo.com.br/,
Kent Frio - Resistências elétricas,
Panificadora Vilas.

As fotos do debate estão postadas no http://galeria.muraldebugarin.com/gallery/v/Imagem+Midia+e+Violencia/ em galeria de fotos.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

MUITO OBRIGADO!



A todos que compareceram ontem a noite no evento, fica aqui o agradecimento da turma de Jornalismo 2010.1 - Noturno.
Sem a participação do público não seria o sucesso que foi. Todos que compareceram saíram com uma bagagem crítica ao ver o mundo midiático.


MUITO OBRIGADA E ATÉ BREVE!

terça-feira, 1 de junho de 2010

É HOJE

A Televisão
Me deixou burro
Muito burro demais
Oi! Oi! Oi!
Agora todas coisas
Que eu penso
Me parecem iguais
Oi! Oi! Oi!...

(Televisão - Titãs)





Lembrando que o evento Mídia, Imagem e Violência será HOJE ÀS 19H.
Para quem não conseguiu se inscrever no blog apareçam e façam suas inscrições na hora.

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Mídia e Violência


A cada dia nos deparamos com a nova maneira que a mídia vem divulgando certas notícias. Uma delas é o sensacionalismo. Deparamos diariamente com a violência na tv, no rádio, na mídia impressa. O que importa é vender a notícia!
Casos como o do casal Nardoni, da família Richthofen foram apenas exemplos de como o meio midiático vem discutindo tal assunto.

[A mídia] "quando se apropria, divulga, espetaculariza, sensacionaliza ou banaliza os atos de violência está atribuindo-lhes um sentido que, ao circularem socialmente, induzem práticas referidas à violência. Se a violência é linguagem – forma de comunicar algo -, a mídia ao reportar os atos de violência surge como ação amplificadora desta linguagem primeira, a da violência" (RONDELLI, E. Imagens da violência: práticas discursivas. Tempo Social, S.P, v. 10, n. 2. p. 145-157, out.1998).

A VIOLÊNCIA MIDIÁTICA ESTÁ AÍ E PRECISAMOS DEBATER SOBRE ISSO

QUANDO? Amanhã, 1º de junho de 2010, às 19h
ONDE? Auditório da Faculdade da Cidade do Salvador, Comércio

QUANTO? Gratuito

COMO? Inscrições pelo próprio blog, até amanhã às 16h. Vagas Limitadas

Obs.: É necessário que cheguem às 18h para a verifição do nome na lista. Lembrando que as vagas são limitadas

domingo, 23 de maio de 2010

PROGRAMAÇÃO

video

Dometila Garrido - 1ª jornalista mulher da Bahia

Moisés Bisesti - Rádio Cruzeiro e Tv Salvador

Deraldo Damasceno - Delegado Titular 5ª DP Subúrbio Ferroviário

Eduardo Andrade - Sociólogo

Celso Duran - Tv Itapoan

Mediador - Prof. Dr. Fernando Oliveira

Coordenação de Jornalismo

Faculdade da Cidade do Salvador

quarta-feira, 12 de maio de 2010

APRESENTAÇÃO




ENCONTRO - IMAGEM, MÍDIA & VIOLÊNCIA

Em sua primeira edição o Projeto Se Liga na Mídia promove o encontro com o tema: Imagem, mídia e violência.


Promovido pelos alunos do curso de Jornalismo da Faculdade da Cidade convidamos a comunidade acadêmica e a sociedade baiana para refletir e problematizar as diversas formas de manifestação da violência na contemporaneidade, sobretudo a violência ofertada à sociedade pelas imagens midiatizadas, pelas TVs, fotografias, vídeos e imagens computadorizadas.

O evento acontecerá no próximo dia 1º de Junho (Terça-Feira), às 19h, no Auditório da Faculdade da Cidade, terceiro andar do Edifício Nobre, Pça da Inglaterra, no bairro do Comércio. Reúne profissionais atuantes na Imprensa Baiana, nas TVs, no rádio e pesquisadores dos temas em questão, para refletir o problema da exposição da violência na mídia.

A mídia espetacularizada, as mazelas humanas ganham espaço na imprensa, a negatividade como maior forma de expressão. As opiniões que se formam no século XXI.

Falta de informação ou comodismo? O que nos leva a consumir tais produtos? De que forma a educação contribui ou não para o avanço da chamada mídia “vampiresca”?

Pensar como as imagens afetam e disseminam a realidade da violência pela exposição visual, pela violência simbólica das mercadorias-imagens, que agem, de um lado fingindo ser ela testemunha da violência exterior e ao mesmo tempo violando nossa visão.

O que fazer quando nossas vistas e nossas mentes ficam obsedadas pela midiatização da violência na contemporaneidade?

Produção: Alunos do Curso de Jornalismo
Supervisão: Prof.Dr. Fernando Oliveira
Coordenação do Curso de Jornalismo
Faculdade da Cidade do Salvador